building culture
As grandes histórias escrevem-se com valores no coração dos homens.
Explore os nossos valores...
Somos um grupo de empresas que opera nos seguintes mercados:
Engenharia & Construção, Ambiente, Energias Renováveis, Telecomunicações, Real Estate e Ventures.
Fotografia por Luís Pinto, finalista do Prémio Emergentes dst 2011.

Respeito. (do lat. respectu) s.m. 1. ato ou efeito de respeitar; 2. consideração; apreço; 3. deferência; acatamento; veneração; 4. homenagem; culto; 5. relação; referência…

Acreditamos que todos devem ser respeitados pelo seu trabalho, pelas suas atitudes, opiniões e opções.

Fotografia por Mila Teshaieva, finalista do Prémio Emergentes dst 2011.

Rigor. (do lat. rigore) s.m. 1. dureza; força; 2.fig., severidade; pontualidade; exatidão.

Não existe "mais ou menos nivelado", "mais ou menos aprumado", "mais ou menos limpo" ou "mais ou menos seguro", mas sim "nivelado", "aprumado", "limpo e seguro". O rigor reflete-se nos nossos procedimentos, no horário e nas regras a cumprir. Ser severo, do ponto de vista dos princípios e da moral, é ser rigoroso.

Fotografia por , finalista do Prémio Emergentes dst 2012.

Paixão. (do lat. passione) s.f. 1. sentimento intenso e geralmente violento (de afeto, alegria, ódio, etc.) que dificulta o exercício de uma lógica imparcial; 2. objeto desse sentimento; 3. grande predileção; 4. parcialidade; 5. grande desgosto; sofrimento imenso…

Sob o signo da paixão - texto da poetisa Regina Guimarães - é o nosso ícone. Paixão é ter grande entusiasmo por alguma coisa, ânimo favorável ou contrário a algo.
É a sensibilidade que um engenheiro ou arquiteto transmite através de uma obra.
Paixão é a entrega a um projeto. Paixão é um estado de alma quente.

Fotografia por Jakub Karwowski, finalista do Prémio Emergentes dst 2012.

Lealdade. (do lat. legalitate) s.f. qualidade de leal; fidelidade; sinceridade.

Respeito aos princípios e regras que norteiam a honra e a probidade. Fidelidade dos compromissos e contratos assumidos, presença de caráter.
Ser leal com os parceiros de negócio, com quem de nós depende e de quem dependemos. Ser confiável por ser leal.

Fotografia por Ian Lieske, finalista do Prémio Emergentes dst 2011.

Solidariedade. (do lat. solidare) s.f. 1. qualidade de solidário; 2. responsabilidade recíproca entre elementos de um grupo social, profissional, etc.; 3. sentimento de partilha de sofrimento alheio.

Ser solidário é ser amigo, é estender a mão com generosidade genuína, é levar alegria e calor humano a quem de alguma forma está marginalizado. Ser solidário é ser mais humano. Uma empresa solidária é reconhecida como uma empresa justa e não egoísta. Uma empresa solidária é preferida nos negócios. É uma empresa mais competitiva. O voluntariado é um veículo para a solidariedade. É moderno, justo, culto, amigo, é um gesto nobre e de elevação moral.

Fotografia por Clarence Gorton, finalista do Prémio Emergentes dst 2012.

Coragem. (do lat. coraticum) s.f. 1. bravura face a um perigo, intrepidez, ousadia; 2. força moral ante um sofrimento ou revés; 3. [fig.] energia na execução de uma tarefa difícil, perseverança.

A coragem é essencial na nossa vida. Coragem para enfrentar situações menos simpáticas nos temas mais difíceis, não esperando resoluções ao acaso.
É um valor que devemos evidenciar por oposição ao medo, à cobardia e à preguiça. Coragem para reagir a uma crítica não com uma atitude de desmotivação ou tristeza, mas antes procurar o meio e a ação para superar o seu motivo. Recomenda-se muito este tipo de coragem, que é também uma coragem intelectual.

Fotografia por Filipa Alves, finalista do Prémio Emergentes dst 2011.

Ambição. (do lat. ambitione) s.f. 1. desejo veemente de riqueza, honras ou glórias; 2. expectativa em relação ao futuro, aspiração; 3. cobiça, ganância.

Anseio veemente de alcançar determinado objetivo. Ambição para não nos resignarmos. Ambição por tirar o maior potencial de nós próprios. Ambição para nos merecermos. Ambição para sermos atletas na nossa profissão de alta competição. Ambição para bater as nossas marcas. Ambição para fazermos os melhores negócios com o máximo de valor à custa da mais alta competência e eficiência.

Fotografia por Scarlett Coten, finalista do Prémio Emergentes dst 2011.

Bom Gosto. (do lat. gustu) s.m. 1. capacidade de apreciação do valor estético de alguma coisa; 2. elegância, requinte, sentido estético; 5. cunho particular que um artista dá às suas produções.

Optámos por fundar a economia da empresa numa imagem culta, cosmopolita e cool. Bom gosto porque é um estado de ser com charme. Bom gosto porque somos sustentáveis e respeitamos o planeta. Bom gosto porque somos sensíveis. Bom gosto porque sim.

Fotografia por Karl Erik Brondbo, finalista do Prémio Emergentes dst 2011.

Responsabilidade. (do lat. respondere) s.f. obrigação de responder pelas ações próprias, pelas dos outros ou pelas coisas confiadas.

Temos de ter a certeza que, perante uma escolha, escolhemos o que é melhor para os dois e não apenas o melhor para cada um. Cada colaborador é responsável pela sua atividade negociada e corresponsável se o colega não cumprir a sua, impedindo o objetivo comum. Uma equipa é o conjunto - é o todo. No jogo empresarial, como no social ou familiar, todos têm de cumprir na sua posição relativa e todos devem contribuir para que, por omissão, não permitamos que um dos nossos não seja um dos nossos.

1
05/01/2017
Grupo dst aposta na formação profissional dos colaboradores

O grupo dst arranca na próxima sexta-feira, dia 6 de janeiro, com mais uma ação de formação, dando assim seguimento a uma política de valorização profissional há muito enraizada na empresa e que visa ir ao encontro das reais necessidades de todos os seus colaboradores. Este primeiro módulo, com um total de 25 horas e que se estende até 18 de fevereiro, é dedicado ao tema da Comunicação Oral e tem como formador António Fonseca, ator e encenador ligado a vários projetos de teatro e com trabalho realizado também no cinema e televisão. Tem também uma longa experiência como formador, com destaque para a colaboração que tem mantido nos últimos anos com o Curso de Teatro e Educação da Escola Superior de Educação de Coimbra.

Potenciar a eficácia da comunicação, exercitando voz e palavras, é um dos grandes objetivos desta formação, abrindo caminho a uma maior e melhor expressão pessoal e subjetiva. Ao melhorar a comunicação oral dos participantes criam-se novas dinâmicas de expressão, seja através do aparelho fonador, da produção do som e as suas implicações com o processo de relaxamento e respiração, a centralidade corporal, a articulação verbal, a capacidade de escuta ou a subjetivação dos conteúdos na oralidade. Cada sessão terá a duração de 2h30, com uma metodologia essencialmente prática.

A 21 de fevereiro arranca uma outra oficina, sobre Expressão Oral - O corpo como elemento fundamental da comunicação, que estará a cargo de Rui Madeira e que se prolongará até 28 de março. Rui Madeira é ator, encenador e diretor artístico da Companhia de Teatro de Braga, tendo lecionado no Curso de Artes da Universidade Católica de Braga, para além de várias participações como ator e encenador em peças de teatro, cinema e televisão. Neste módulo será abordado o corpo como elemento fundamental da comunicação, com exercícios práticos e técnicos, baseados na observação realista. Desta forma, os colaboradores do grupo dst em formação poderão, a cada momento, aferir sobre o seu estado e medir os resultados que estão a atingir. As áreas técnicas a abordar passam pelo corpo como elemento fundamental da comunicação, a respiração, o olhar, a articulação, a dicção, a expressão falada ou a interpretação.

Para José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do grupo dst, “a aposta na formação profissional é determinante para a evolução do negócio, permitindo que os nossos colaboradores adquiram competências essenciais ao bom desempenho das suas funções”, frisando que “é cada vez mais importante, num mercado globalizado e em constante mutação, que as apetências comunicacionais de cada um sejam estimuladas e desenvolvidas”.

 

2028 horas de formação em 2016

A formação profissional dos recursos humanos tem sido uma preocupação crescente no seio do grupo dst, que só no ano de 2016 proporcionou mais de duas mil horas de formação, em que estiveram envolvidos 300 colaboradores, em 84 ações certificadas. Esta promoção da aprendizagem permanente fomenta, para além da aquisição de conhecimentos e aptidões técnicas, as competências de relacionamento e o sentimento de pertença à organização, resultando no estímulo da autoconfiança e na sensação de segurança. Todas as ações de formação identificadas e realizadas são ajustadas às reais necessidades dos trabalhadores, tendo em conta o Plano de Formação da empresa, construído anualmente a partir do levantamento de necessidades e cada departamento ou empresa, em articulação com os seus diretores e administração.